Adeus VSO… Olá VSTS!

VSO é a sigla para o Team Foudation Server na nuvem, ou pelo menos era comum chamar dessa maneira curta o serviço acessado pela URL VisualStudio.com, lançado pela Microsoft em 2012. O nome sempre me pareceu um marketing falho, já que não é a IDE que está na nuvem e sim todo o backend, ou seja o TFS. Quando o serviço se tornou público e eu pude testá-lo, era praticamente um MVP, muitas features, muitas mesmo não estavam presentes on-line. O que me levou a ver com ceticismo o futuro do produto. Além de features que eu considerava essenciais para a adoção do serviço por empresas que já utilizavam o TFS, o fato de ser na nuvem, um SaaS, trazia uma grande carga de discussão, “as empresas não querem deixar no datacenter alheio seu código”, “conectividade no país é ruim”, “segurança”, etc…

Passado algum tempo não só o VSO evoluiu e muito, como em alguns pontos ultrapassou o seu irmão mais velho on-premise, TFS. Devido ao seu processo de desenvolvimento ágil, com ciclos de entrega de 3 semanas, e a facilidade de deploy, por ser um SaaS, o VSO hoje tem features que só poderão ser adicionadas ao TFS no próximo Update, que já é um ciclo rápido, considerando que no ano são entregues 4 grandes pacotes de atualização. Por exemplo, está em preview, e portanto você já pode testar a nova versão do Release Management, agora com a UX web, você pode ver essa feature no vídeo abaixo, e acompanhar o trabalho do Vinícius Moura e Ricardo Serradas, que publicam um vídeo explicando cada entrega que é liberada pelo time no VSO Sprints.

Olá, VSTS!

Como eu disse lá no começo o nome era muito ruim, remetia a IDE e não ao backend, ou a um serviço, por isso a Microsoft recentemente alterou o nome do produto para Visual Studio Team Services, uma sigla que apesar de conhecida, a primeira versão do TFS se chamava Visual Studio Team System, portanto também VSTS, fica um pouco melhor… definitivamente acho que o Visual Studio deveria ser retirado do nome.

Aproveitando essa mudança, quero comentar sobre duas features que para mim são o marco para adoção do VSTS por empresas de grande porte, ou por aquelas que queiram migrar do TFS. Vamos lá!

Process Template

O TFS permite já há algum tempo a possibilidade de customização do template de processo. Ou seja, além dos três que são instalados por padrão é possível criar um novo processo ou customizar os existentes. Considero essa feature altamente necessária para médias e grandes empresas, já que é bem provável que o VSTS tenha que se integrar com outros sistemas dentro de um ecossistema de ALM. Portanto a necessidade de criar um campo específico, ou um novo work item, que é um artefato no produto, era um fator impeditivo. Não mais! Na sprint 92, tivemos o deploy dessa feature que não está totalmente finalizada, mas já permite a criação de campos, alteração de leiaute, como pode ser visto abaixo no vídeo do VSO Sprints:

Relatórios

Sim… relatórios não estavam disponíveis no VSTS… até agora! No TFS essa feature é suportada pelo Reporting Services do MS SQL Server. Integrado ao produto e padrão para os desenvolvedores .Net já acostumados a criar relatórios na plataforma Microsoft, o Reporting Services atendia muito bem a necessidade de visualização de dados extraídos do produto. Na sua versão on-line era possível criar relatórios básicos usando a integração com o pacote MS Office através do plug-in Team, é possível publicar a planilha em um Excel Service no Sharepoint, etc… Porém ainda parecia faltar alguma coisa…

No início do ano a Microsoft liberou para o Brasil o Power BI, uma ferramenta desktop e também um serviço on-line para construção de dashboards e relatórios extremamente simples de ser utilizada e com alguns templates prontos. Por exemplo, para o VSTS!

Para habilitar a ferramenta é preciso uma conta do Office 365 e você pode seguir esse tutorial do Gerson Dias. Especificamente sobre esta feature eu irei postar futuramente e pretendo começar um projeto de migração dos relatórios existentes no TFS com o Reporting Services para o VSTS pelo Power BI.

Portanto prevejo a partir deste momento uma maior adoção do VSTS, a facilidade de implantação, custos, updates, entre outros pontos; justificam essa descião. Mas isto é assunto para outro post.

4 respostas para “Adeus VSO… Olá VSTS!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *