Team Foundation Server Update 2 RC1

Diferente do Visual Studio 2015 Update 2 CTP, veja post, o Update 2 para o TFS já se encontra em RC1, release candidate, ou seja, agora são correções de bug e dificilmente teremos mudanças nas features entregues.

Vamos analisar as principais.

Como já comentei antes aqui no blog, o TFS está atrasado em relação as features implementadas no VSTS. Isso se deve a política “cloud first” que a Microsoft abraçou em relação ao produto e também por que é muito mais fácil e rápido distribuir novidades para uma instalção na nuvem do que updates para download! Essa última é uma das grandes vantagens da versão on-line em relação a sua versão on-prem: velocidade nas atualizações.

Melhoria ao apagar e criar Team Projects

Agora é possível criar e apagar TP’s através da API REST. Também foi implementado a criação de TP através da drop-down, ficando mais próximo do VSTS e apagar um TP na visão administrativa da TPC.

Re-ordenação de cartões nos boards

Essa otimização traz uma mudança no modo de trabalho do time, ao reordenar cartões quando for mudada colunas: reordenar sem restrições ou seguir a ordem do backlog.

Considero a última opção melhor se você estiver tentando ser aderente a um processo como Scrum: o goal da Sprint é determinado pelo PO em um objetivo de negócio. Já se você está em um sistema Kanban/Lean, essa mudança dará mais liberdade.

Apagar work items

A ação de apagar WIT’s sempre aparece em um consultoria. O cliente quer apagar um WIT, pois pode distorcer métricas que são extraídas do TFS. Particularmente eu acho que o estado de Removido é melhor, pois mostra outras métricas… Mas isso é assunto para outro post. Além de contar com uma lixeira, que permitirá recuperar o WIT, não será preciso se preocupar de requisitos sumirem do backlog, já que a feature irá contar com uma permissão específica.

Teclas de atalho global

Eu gosto de teclas de atalho, talvez seja por que gosto de linha de comando. Mas elas realmente facilitam o trabalho.  São as mesmas teclas usadas no VSTS.

Modo de edição de dashboards

O dashboards, que estão ganhando cada vez mais features e estenções, agora tem um modo de edição para mover os tiles/widgets, evitando alterar o quadro acidentalmente. No modo de edição é possível mover, remover, configurar e adicionar widgets.

Auto-refresh dos dashboards

Se você usa Gestão a vista… não sabe o que é? Aguarde post!… Essa feature vai permitir utilziar o dashboard em um monitor, fazendo o refresh dos dados. É o fim de códigos javascript que faziam essa ação.

Contrução de widgets nos dashboard

Como eu disse acima, o dashboard está evoluindo bastante, e essa é mais uma das features que ele está ganhando. Colocar um gráfico baseado em WIT’s, build ou testes será muito fácil e será feito diretamente no quadro.

Gráficos baseados em querys de work item nos dashboard

Já era possível desde a versão 2013 fixar um gráfico baseado em uma query, agora com o widget no dashboard não será preciso ir até as querys para fazer o gráfico. E ainda está mais fácil de criar e customizar.

Variáveis @mentions e #ID

Agora é possível usar ‘@’ para mencionar pessoas em comentários ou discussões no pull request, também é possível usar ‘#” para se referir a um WIT. Esse simbolos vão criar links que vão abrir o perfil da pessoa ou o WIT descrito, tornando experiência do usuário mais interativa.

Widget de Pull request

Com este widget será possível visualizar pull requests para o time, por exemplo, ou para o usuário logado, ou criados por este. É possível navegar para o pull request selecionado ou visualizar um sumário.

Widget Markdown

Este widget dá a possibilidade de escolher um arquivo markdown, os famosos README.MD, no repositório e exibi-lo no dashboard. Avisos do que é preciso ter instalado na máquina do desenvolvedor, ou sobre a última versão do código, agora ficam a vista no dashboard.

Common identity picker

Melhoria na busca e descoberta de usuários e grupos, em vários locais, como controle de versão, release management e lugares que possam usar @, veja tópico acima.

Gated check-in para Team Foundation Version Control

Agora é possível acionar o gated check-in através de uma política de branch, como no Git. Portanto, se um check-in não tiver o build OK, ele será rejeitado.

Controle de versão web

O hub Code vem com várias novidades, aviso de build com sucesso na branch que está sendo exibida, mudanças de ícones, melhoria na rastreabilidade de pull requests, etc…

Support para Team Foundation Server extensions

Suporte para as extensions! O TFS já tinha permitia a construção de plug-ins server-side, agora foi implementado o mesmo suporte existente no VSTS. Ou seja, poderá ser instalado nas TPC’s as extenções disponíveis no marketplace.

Atalhos de teclado para board Kanban

Mais atalhos! Agora WIT’s no quadro Kanban, criar, mover entre colunas ou swinlanes e expandir ou retrair itens.

Já disse que gosto de atalhos de teclado?

Melhorias e features no Build, Melhorias e features de Testing e Nova versão do Release Management

Esses três últimos itens vou comentar com mais detalhes no post de amanhã!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *